24 de Setembro de 2019

Os problemas tradicionalmente abordados pela Filosofia da Linguagem e pela Filosofia da Mente são cada vez mais explorados, na pesquisa contemporânea, em sua interrelação, constituindo um espaço de investigação para onde confluem também outras disciplinas, como a Ética e a Filosofia Social. O Grupo tem por objetivo explorar essa frente de investigação, reunindo pesquisadores cujos interesses têm interseção com as questões fundamentais sobre a linguagem a mente e a evolução cultural. Além disso, o grupo ambiciona, na medida da sua relevância para a pesquisa filosófica, incorporar conhecimentos produzidos no âmbito de diferentes ciências a respeito das bases biológicas e socioculturais dos fenômenos psicológicos e linguísticos. Outras áreas da Filosofia, como a Filosofia da Biologia e a Filosofia da Psicologia, terão consequentemente um lugar de destaque nos trabalhos do grupo.

A periodicidade dos encontros é quinzenal.

 

 

Mais informações: reis

O grupo vem desenvolvendo os seguintes temas de investigação: 1- Aspectos lógicos do raciocínio científico, lógicas lexicais, lógicas modais, lógicas paraconsistentes, combinação de lógicas, lógica universal, aplicações da lógica à filosofia e filosofia da lógica. Neste tópico, além dos aspectos lógicos enumerados, são analisado os estudos sobre as principais tentativas contemporâneas de interpretação da inferência científica na escolha de hipóteses como, por exemplo, o método hipotético-dedutivo, o bayesianismo e a teoria do erro. 2- Estrutura das teorias científicas. Nesse tópico, examina-se as principais concepções acerca da estrutura das teorias científicas: concepção sintática, concepção semântica e o estruturalismo. Decorrente desse estudo, o problema da mudança teórica surge como um tema importante. 3- Realismo científico. Nesse tópico, estuda-se o debate realismo-anti-realismo de teorias científicas e sua vinculação com o problema dos termos teóricos. 4- Epistemologia das Ciências Sociais. Nesse tópico, examina-se algumas das teses acerca da moderna teoria social elaboradas por filósofos da ciência e por investigadores sociais com preocupações epistemológicas. Busca-se, assim, desenvolver uma tipologia dessas teses em função da resposta que apresentam à questão relativa à identidade epistemológica do conhecimento social, além de realizar um balanço crítico dessas respostas. O Grupo vem realizando seminários periódicos desde a sua criação, em 2004.

 

Mais informações no site: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0723957471438426

O grupo "Lógica Filosófica e Filosofia da Lógica" da Universidade de Brasília tem por objetivo inicial organizar encontros na área de Lógica no Departamento de Filosofia. O grupo é responsável pelo Seminário Permanente "Lógica no Avião", e ainda recebeu auxílio do CNPq por via do edital Universal-2013 durante 2013-2016.

 

Mais informações sobre 'Lógica no Avião':  https://sites.google.com/site/logicbrasilia/ ehttp://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7628213556759059

O grupo "Lógica Filosófica e Filosofia da Lógica" da Universidade de Brasília tem por objetivo inicial organizar encontros na área de Lógica no Departamento de Filosofia. O grupo é responsável pelo Seminário Permanente "Lógica no Avião", e ainda recebeu auxílio do CNPq por via do edital Universal-2013 durante 2013-2016.

 

Mais informações sobre 'Lógica no Avião':  https://sites.google.com/site/logicbrasilia/ ehttp://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/7628213556759059

O Grupo de Pesquisa em Filosofia da Religião da UnB (GPFR) foi fundado em 2004 e reúne pesquisadores e estudantes do Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília para indagar o fenômeno religioso do ponto de vista filosófico. Por meio de suas pesquisas, seminários e publicações, pretende ajudar a preencher a lacuna nessa área do saber no Brasil e despertar interesse numa colaboração interdisciplinar.

 

O GPFR organizou o I Congresso Brasileiro de Filosofia da Religião em 2005, uma Semana de Filosofia na UnB em novembro de 2008 sobre ateísmo moderno, o III Congresso em 2009, o IV Congresso em 2011, e também o VI Congresso em outubro de 2015, além de inúmeros seminários e eventos nacionais e internacionais, uma mostra de sua liderança nessa subárea do conhecimento filosófico no país.

 

Além das sessões de apresentações de seminários a cada três semanas durante o período letivo e de eventos de alcance nacional e internacional, o grupo também promove estudos aprofundados de textos fundamentais da área, coordena projetos de iniciação científica e mantém contatos com outros grupos do gênero, por meio da Associação Brasileira de Filosofia da Religião (ABFR), à qual são afiliados seus pesquisadores principais.

 

Mais informações: http://www.gpfr.unb.br/  e   http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1078417459920526

O principal objetivo do Grupo é estudar as mais diversas facetas do pensamento de filósofos dos períodos antigo e medieval com intenção de incentivar e possibilitar a produção de trabalhos intelectuais na área, que seja sob forma de livros, artigos, teses, dissertações ou monografias. A princípio, não há discriminação entre os assuntos a serem tratados, ainda que enfatizemos os seguintes temas dessa longa época: epistemológica, ética, lógica, metafísica e psicologia. O escopo mais específico é facilitar a formação de alunos, notadamente os da Pós-Graduação e do PIBIC, ao familiarizá-los com a pesquisa e com as apresentações orais e escritas. Os diversos encontros semestrais (5 ou 6 em média por semestre) dão oportunidades de apresentar os resultados parciais ou mais definitivos das pesquisas e dos trabalhos em andamento de cada um dos membros do Grupo. Além disso, eles permitem enfrentar uma platéia habilitada antes de expor os resultados nas tribunas oficiais, quer a qualificação e as defesas de teses, dissertações ou monografias, quer as participações em eventos, congressos, workshops, etc. Por fim, as atividades do Grupo visam a facilitar o trabalho dos professores e orientadores, ao seguir de perto o avanço e o progresso dos alunos e dos orientandos.

 

Mais informações: https://sites.google.com/site/profguyh/home   e  http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3919859084231370

Não há dúvidas que a filosofia política é um campo privilegiado de reflexão para os diversos impasses políticos e sociais com que se deparam as sociedades contemporâneas. O Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UnB, que conta agora com Mestrado e Doutorado, tem desenvolvido diversas atividades na área da filosofia política, e o grupo de pesquisa Ética e Filosofia Política, composto por diversos pesquisadores, professores e estudantes da UnB e de outras universidades do Centro-Oeste tem o propósito de aprofundar a reflexão e o debate qualificado a partir de textos filosóficos. Além disso, visa assegurar o intercâmbio entre estudantes e pesquisadores e propiciar o desenvolvimento de pesquisa acadêmica com vistas à melhoria do ensino de filosofia no Ensino médio, na Graduação e Pós-Graduação.

 

O Grupo tem desenvolvido leituras diversificadas, abrangendo desde a Filosofia Política Clássica até autores contemporâneos, visando compreender e articular a filosofia e a práxis.

O Grupo busca a análise dos autores da tradição filosófica, privilegiando o enclave da articulação entre o pensamento e a vida, a política e a justiça, a teoria e a prática. Trata-se de discutir não só a filosofia como atividade formuladora de conceitos abstratos ou metafísicos, mas sobretudo em que medida o pensamento filosófico pode contribuir para as condições da crítica e os perfis conceituais das propostas de mudança social.

 

Mais informações:https://www.filosofiapoliticaunb.com/blog/  e http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/3917592769839837

 

O grupo existe desde abril de 2009 e se dedica a refletir sobre as muitas relações entre metafísica e política. Entre os autores mais discutidos dos últimos 3 anos: Derrida,Blanchot, Jabès, Levinas, Bataille, Deleuze, Whitehead, Jean Wahl. 

Mais informações: https://www.facebook.com/groups/288769351217420/?fref=ts

O Grupo de Pesquisa “Os pensadores clássicos e os debates contemporâneos” foi criado por professores e estudantes de Brasília com o propósito de promover a leitura e a reflexão sobre autores e obras consideradas “clássicas” para o campo de estudo das Relações Internacionais. A principal motivação para a constituição do Grupo foi o entendimento de que a as reflexões deixadas por pensadores como Hobbes, Kant ou Maquiavel são importantes para a melhor compreensão das questões de nosso tempo.

Com efeito, a leitura dos clássicos tem um papel essencial, especialmente nas humanidades e nas ciências sociais, como parte da formação da capacidade de discernimento tanto do analista, preocupado em explicar as questões correntes, quanto para aqueles que, na academia, estão envolvidos mais diretamente com a reflexão e o desenvolvimento de pesquisas voltadas para o avanço dos conhecimentos em sua área. Por vezes, o conhecimento dos clássicos é equivocadamente confundido com o vício da erudição. É óbvio que ter familiaridade com as grandes obras filosóficas, históricas e literárias não pode ser considerado um vício, no entanto, o uso superficial da formação erudita é que distorce seu sentido e transforma o interesse e o esforço honesto e construtivo de se conhecer a história e os grandes pensadores do passado em simples ornamentos para seus escritos, pareceres, palestras ou mesmo para sua convivência em sociedade. O entendimento do Grupo é o de que, muito ao contrário, esse conhecimento deve ser visto como a base de uma formação mais sólida e mais bem sedimentada e uma forma de valer-se de um acervo de conhecimentos que ajuda a refinar o entendimento do mundo contemporâneo.

Nas ciências que estudam os fenômenos da convivência humana revisitar os conceitos e as obras dos grandes pensadores do passado constitui uma prática corrente em todos os centros universitários de prestígio reconhecido. Essa prática decorre da observação de que os fenômenos políticos e sociais têm como característica marcante a de trazerem consigo, simultaneamente, elementos de permanência e elementos que evoluem ou se transformam ao longo do tempo. Os problemas que preocupam as pessoas e as sociedades variam com o tempo e as circunstâncias, mas as forças que movem o comportamento, que causam angústia, temor ou satisfação continuam a orientar os padrões que podem levar à coesão e à cooperação ou ao conflito e à desagregação.

 

Participantes do Grupo

Os participantes do Grupo podem ser docentes de instituições de ensino superior, pesquisadores independentes e atuantes em instituições públicas e privadas, estudantes de pós-graduação e de graduação. O Instituto de Relações Internacionais da UnB deverá abrigar o Grupo, mas espera-se que haja participação expressiva de professores, pesquisadores e estudantes de outras instituições. É importante considerar que o objetivo do Grupo não é o de formar especialistas em autores clássicos, antigos ou modernos. O Grupo é aberto a todos aqueles que, de algum modo, entendem como algo importante desenvolver maior familiaridade com os fundamentos conceituais e filosóficos das relações internacionais e das disciplinas correlatas. Dessa forma, muito embora possa haver casos em que um integrante do Grupo venha a se tornar um especialista em algum autor ou tema considerado clássico, a expectativa é que cada qual se beneficie das reflexões do Grupo para suas pesquisas em seu próprio tema de interesse. Ou seja, espera-se que um pesquisador interessado em examinar os problemas e as perspectivas das ações humanitárias, da segurança internacional ou mesmo das perspectivas do comércio em nossos dias, ao participar do Grupo, tenha sua sensibilidade e sua compreensão aumentadas em razão das leituras e reflexões acerca de como um pensador como Hobbes ou Grotius interpretava o mundo no qual vivia.

 

Mais informações no enredeço do Grupo de Pesquisa: https://pensadoresclassicosedebatescontemporaneos.wordpress.com/ e http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1479243983856582

Linha de pesquisa1: Epistemologia, Lógica e Metafísica.

 

Esta linha se dedica a problemas filosóficos associados ao conhecimento (e assim à percepção, à justificação, ao testemunho), à ciência (e assim ao estatuto ontológico das entidades postuladas pela ciência, à relação entre teoria e experiência na prática científica e a questões metodológicas associadas ao desenvolvimento de teorias físicas), às relações de consequência (e assim à epistemologia da inferência, às relações entre forma e existência, ao contraste entre os diferentes sistemas lógicos) e aos aspectos estruturais da realidade (natureza da realidade e o contraste entre as diferentes ontologias).

 

O Programa de Pós-graduação do PPG-FIL-UnB desde o seu início teve um foco em questões associadas ao conhecimento e à ciência. De fato, a área de concentração do Programa de Mestrado nos seus primeiros anos foi Epistemologia. Na época, muitos pesquisadores do Programa estavam dedicados à teoria do conhecimento e à filosofia da ciência e alguns outros estavam pesquisando a ética do conhecimento e as relações políticas em torno da ciência. Por diversas razões, inclusive pela ampliação e transformação das áreas de interesse de alguns pesquisadores do programa, a concentração passou a ser, desde 2007, em Filosofia. Desde então, as pesquisas sobre filosofia da física, epistemologia evolucionista, natureza da experiência e sistemas lógicos se juntaram a investigações sobre natureza da evolução, a ontologia da percepção, as relações entre perspectivas e a pluralidade de sistemas lógicos, o problema da mudança teórica e, finalmente, sobre a natureza e existência de Deus no debate atual da filosofia analítica da religião. A ênfase contemporânea na filosofia analítica, em torno da metafísica, foi incorporada pelo Programa (daí a explicitação dessa subárea nessa linha de pesquisa). Nesse contexto, também a filosofia da mente (abordada em um dos projetos de pesquisa) passou a ser entendida em um quadro metafísico mais amplo; o estudo da evolução deu lugar a preocupações  acerca da ontologia da biologia e da relação entre a história dos humanos e sua natureza; a investigação acerca da natureza da percepção e da interação entre experiência e conceito abriu espaço para considerações acerca da noção de natureza e sua relação com o domínio das leis e com os processos de encantamento e desencantamento; a pesquisa acerca de sistemas lógicos deu origem a  questões acerca da natureza das inferências e de como os sistemas formais são compatíveis com conjuntos de mundos possíveis.

 

Professores Vinculados:

Prof. Dr. Agnaldo Cuoco Portugal

Prof. Dr. Alexandre Costa Leite

Prof. Dr. Alexandre Hahn

Prof. Dr. André Leclerc

Prof. Dr. Hilan Nissior Bensusan

Prof. Dr. Luiz Henrique Dutra

Prof. Dr. Marcos Aurélio Fernandes

Prof. Dr. Michel Paty

Prof. Dr. Paulo César Coelho Abrantes

Prof. Dr. Philippe Lacour

Prof. Dr. Rodrigo de Alvarenga Freire

Prof. Dr. Samuel José Simon


Linha de Pesquisa 2: Ética, Filosofia Política e Filosofia da Religião

 

Esta linha de pesquisa busca investigar as questões clássicas do pensamento ético e político conjuntamente aos problemas ligados ao domínio da filosofia da religião, relacionados pelo caráter prático que envolve essas áreas. São pesquisados temas como as concepções metafísicas, antropológicas e epistemológicas das religiões, as relações entre a ética e a religião, as concepções do poder, as relações entre as noções de liberdade e igualdade, as relações entre poder político e religião, além dos grandes problemas da filosofia moral e política desde a Antiguidade até o pensamento contemporâneo.  Incorpora e articula nesta dimensão questões relacionadas aos direitos humanos fundamentadas em teorias do Estado e em concepções metafísicas, discutindo temáticas correlatas como a relação entre ética e pluralismo, ética e religião, crítica do discurso político e democracia e justiça.

 

As questões epistemológicas em filosofia da religião referem-se ao debate contemporâneo intitulado “ética da crença”, que se desenvolve desde o século XIX, e tem antecedentes importantes na discussão clássica sobre a relação entre fé e razão. Além de um óbvio conteúdo normativo, essas questões permitem também uma ligação orgânica com a linha de pesquisa de epistemologia, lógica e metafísica. Estes temas também se vinculam intimamente com a linha de história da filosofia, por meio de projetos que estudam questões de ética, filosofia política e filosofia da religião com foco na compreensão de como se deu o respectivo debate em determinado contexto histórico.

 

Professores vinculados:

Prof. Dr. André Luiz Muniz Garcia

Prof. Dr. Alex Calheiros

Prof. Dr. Alexandre Hahn

Prof. Dr. Agnaldo Portugal

Prof. Dr. Erick Calheiros

Prof. Dr. Francesco Tomasoni

Prof. Dr. Gilberto Tedeia

Prof. Dr. Guy Hamelin

Prof. Dr. Herivelto Pereira de Souza

Prof. Dr. Hilan Bensusan

Profa. Dra. Lígia Pavan Baptista

Prof. Dr. Marcos Aurélio Fernandes

Profa. Dra. Maria Cecilia Almeida

Prof. Dr. Marcos Aurélio Fernandes

Prof. Dr. Marcio Gimenes de Paula

 

 

 


Linha de Pesquisa 3: História da Filosofia

 

Esta linha de pesquisa é fundamental para a organicidade do programa e do curso de doutorado. Trata-se de uma linha que se apõe à tendência predominantemente temática das linhas anteriormente mencionadas. Enquanto as duas linhas anteriores se vinculam, respectivamente, àquilo que desde Aristóteles foi chamado de filosofia teórica e filosofia prática, a presente linha em “História da Filosofia” integra mais esses registros, referindo mais os temas, autores e problemas à relação, constitutiva para o pensamento ocidental, entre a filosofia e sua história. Frequentemente, temas teóricos e práticos ultrapassam, pela própria natureza da reflexão filosófica, o escopo mais limitado imposto pelas dimensões epistemológicas, metafísicas e ético-políticas, exigindo um tratamento mais integrado e, sobretudo, com forte conexão tanto com a maneira muito específica como se encadeia a história da filosofia, quanto com a forma, por vezes predominante, como a história se manifesta nas questões filosóficas.

 

Não é apenas uma linha que coordena as duas anteriores, permitindo inclusive trabalhar os projetos e perspectivas que se revelem fronteiriços para ambas, mas constitui uma linha também especificamente propositiva, na medida em que se abrem as possibilidades para a execução de projetos mais monográficos, mais historicamente circunscritos, tanto hermenêuticos, quanto também mais exegéticos.Seguindo a orientação geral estabelecida pelos atuais projetos de pesquisa desenvolvidos pelos docentes que integram o programa, a linha integrará perspectivas que, em geral, se coordenam com as tradicionais fases da história do pensamento ocidental (Antiga, Medieval, Moderna e Contemporânea), como também estudos mais especificamente ligados a autores, conforme a orientação específica dos docentes.

 

Professores vinculados:

Prof. Dr. Alex Calheiros

Prof. Dr. Alexandre Hahn

Prof. Dr. André Luiz Muniz Garcia

Prof. Dr. Erick Calheiros de Lima

Prof. Dr. Guy Hamelin

Prof. Dr. Herivelto Pereira de Souza

Profa. Dra. Maria Cecilia Almeida

Prof. Dr. Marcio Gimenes de Paula

Prof. Dr. Marcos Aurélio Fernandes

Prof. Dr. Michel Paty

Prof. Dr. Samuel José Simon